domingo, 30 de setembro de 2012

Vencendo os gigantes


                                 

Vencendo os problemas, as injustiças, o medo da solidão e aprendendo a caminhar ciente que os obstáculos vão surgir sempre e muitas vezes vão nos pegar de surpresa.
Não somos obrigados aceitar tudo, por isso a sabedoria e a coragem terá que ser companhia fiel em todas as horas.
Passamos por momentos e fases difíceis  que por instantes parece uma eternidade.
Chegar no  auge da vida e ter o discernimento que a vida apesar de muito bela, aparecem coisas e fatos que fogem do nosso controle temporariamente, pois somos inteligentes e temos como aliado o maravilhoso tempo.
Vivemos em um mundo que por mais que queira ser individualista ou querer viver no isolamento, não será possível. Automaticamente já estamos conectados a tudo. Querendo ou não participar será lembrado para o bem ou para o mal.
Por outro lado como humanos temos nossas necessidades e não adianta querer ser  ou achar que é forte, por mais que tente o corpo não aguenta.
E mais, chega a hora do acerto de contas, as limitações e a dependência total para a realização das coisas simples e  básicas. O retorno a infância só é inevitável quando a morte coloca ponto final.  Ser cauteloso com a semente que planta ajuda amenizar o fim, ainda mais sabendo que somos vulneráveis e todos sem exceção estão no mesmo barco.
Vencendo os gigantes a cada dia, vejo que não importa o tamanho da boca do leão, se acreditar e prosseguir, mais adiante vai perceber o quanto valeu a pena ter lutado.
A vitória tão desejada nunca chega com tanta facilidade, é uma conquista única e só consegue quem tem a audácia de crer no seu potencial.
O troféu mais valioso é aquele que você busca de corpo e alma, atravessando as muralhas impostas para que seja descoberto o delicioso sabor da realização  conquistada com seu próprio mérito.
Se houver  oportunidade para fazer ou refazer algo que pode ter sido equivocado, aproveite.
Vencendo os gigantes que atormentam nossa vida, achando que somos fracos e dizemos amém para tudo. O sábio não precisa dar respostas imediatas.



sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A cobrança


                                    

A busca pela independência é intensa e quando se é novo é o único objetivo traçado.
O não querer depender de alguém escraviza o ser humano, elevando seu ego no máximo. E evitando amar segue sozinho com medo de criar raízes e crendo que pode atrasar seus planos.                        
Não sabemos como será nosso fim. Mas até onde tenho visto e na profissão que exerço, cada dia tenho uma surpresa.
E a todo instante meus neurônios ferve. Buscamos tanta liberdade, por momentos chegamos ao extremo.
Ter um olhar diferente sobre a vida é fácil, mas na correria e na pressa de chegar, passa despercebido o valor real, o discernimento do que realmente vale a pena.
O tempo passa e passa depressa, os vinte anos, os quarenta e... E a idade cobra tudo que fizemos ou deixamos de fazer.
Por mais que a vida tenha hoje a prorrogação da melhor idade, as limitações são visíveis e inegáveis.
A mente ainda lúcida quer e manda fazer muitas coisas, mas o corpo na maioria das vezes não colabora, até tenta, mas não consegue. E hoje também pude constatar, vi uma mente vazia e o corpo saudável. Deparei-me com uma moradia abalada.
Então fico a pensar o quanto perdemos tempo de viver com intensidade a beleza da vida, que geralmente está nas pequenas coisas e em gestos simples.
Infelizmente estamos em uma época em que a depressão e o stress estão em alta, e muito requisitados, é mais fácil se fechar as sete chaves ou mais, do que abrir o coração e receber o presente que chega a nossa porta.
Estamos habituados às etiquetas e tudo com data e hora marcada que não conseguimos acreditar que podemos ganhar algo sem ter que pagar por ele.
A cobrança dos nossos atos às vezes tarda, mas chega, em alguns casos chega com uma velocidade admirável. E não adianta tentar fugir, vai deparar com um beco sem saída e a consciência vai arder no arrependimento, vai estar diante dos fantasmas, mas que poderia ter evitado, quando teve oportunidade e força, por opção própria preferiu abandonar o barco e fugir.
Ter medo dos problemas, de não conseguir resolver tudo no seu tempo é normal, mas o erro fatal será sempre desistir sem ter tentado. E não é impondo sua vontade que conseguira sucesso.
Todos são livres para fazer suas escolhas e muitas vezes o amor resolve tudo, claro que nem tudo vem na hora exata. Mesmo com muito amor o ser humano está sujeito a cometer erros.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O louco, o amoroso e o poeta.


     

Já sabemos que de poeta e de louco todos tem um pouco. Mas viver com intensidade com loucura, amor e poesia são poucos que tem o domínio e a coragem.
Não que seja uma conquista difícil, mas o novo assusta e muitos não conseguem enfrentar o medo.
Neste mundo e principalmente nos dias atuais vamos vivenciar coisas e fatos que antigamente não saia da imaginação. E hoje acontece com tanta facilidade e rapidez.
 Agir por impulso pode trazer alegrias, mas também consequências árduas. Recuar ou prosseguir com cautela ainda é a melhor opção, como humanos nos perdemos nos sentimentos e há situações que a decisão é racional e logo o arrependimento chega e o coração sangra por ter que arcar com a dor da solidão e se esconde no casulo isolamento, por ter enfiado os pés pelas mãos.
Acreditar só no seu ponto de vista pode cometer o maior dos erros, jogar fora o amor verdadeiro, por uma atitude descabida, onde deixou o orgulho falar mais alto, e fechou os olhos para os verdadeiros sentimentos que seria a base para um final feliz.
A felicidade de fato existe para quem sabe amar, o amor traz com ele o conjunto que começa com o dialogo, paciência, respeito e entendimento que cada um é dono de suas escolhas, mas nada impede que compartilhem suas ideias e construam juntos seu paraíso.
Temos que ter em mente que nada acontece do dia para a noite, pode levar semanas, meses e anos, tudo tem seu tempo e sua razão de ser e muitas vezes vemos que não é tudo que queremos ou desejamos que de fato seja o melhor para nós.
Na caminhada nesta delícia de vida já me deparei com muitas situações que jamais pensei ter contato, mas fiquei feliz por descobrir a coragem que existe em mim. E acredite por mais que tenha a mente aberta tudo que é novo por mais simples que pareça ser, vai assustar você e não significa que não vai aceitar, o maravilhoso tempo agirá, com certeza.
O louco toma atitudes inesperadas e de acordo com o momento. O amoroso traz dentro de si a força de um amor verdadeiro e às vezes por medo de perder acaba perdendo. E o poeta sempre vai abrir uma brecha para dar sentido a sua vida e tenta caminhar sempre a favor do vento e da música e ao longo do trajeto vai aprendendo a dançar sem se importar com o ritmo.
O louco, o amoroso e o poeta vão estar sempre recheados de imaginação, tentando evitar sofrimentos e dando mais vida e luz ao universo, também consegue trabalhar as tristezas e é consciente que a morte é necessária por mais belo que seja seu personagem.

domingo, 23 de setembro de 2012

Aborto


          
Um tema difícil de tocar, ainda mais quando se vive essa experiência, apesar de termos livre arbítrio, quando se trata da vida e da morte, vemos e sentimos na pele a impotência de querer fazer algo e não ter o poder. Sabemos que tudo já está escrito e o que tiver que ser será, mas há situações que como humanos desejamos mudar.
Então percebemos a grandeza do amor de Deus, a natureza nos acolhe sempre, mas nem sempre recebemos com a mesma intensidade. O corpo sente a transformação e muitas vezes recusa aceitar as perdas. Quanto ao aborto o assunto é amplo e cada um tem seu ponto de vista. Mas em meu ver afeta demais o psicológico, um aborto provocado ou espontâneo merece muita atenção por todas as partes envolvidas.
É fácil falar: não era para ser, daqui a pouco engravida de novo. E aquele abraço tão esperado não chega.
Tantos planos, a benção tão esperada, espontaneamente chega antes do tempo e não há nada a fazer, como é difícil ver seu sonho se esvaindo em sangue, lavando seu corpo e mente. O mundo parece cair sobre sua cabeça. Mesmo crendo em Deus e segurando nas mãos dele é uma realidade que você fecha os olhos para não ver.
A depressão te cerca por todos os lados e tem ser forte o bastante para superar a perda e ainda lutar contra este mal, que afinal se conseguir abrigo viverá um inferno.
Tudo na vida serve mesmo como aprendizado e quem aprender, por favor, ensine, hoje ainda vejo tanta gente que não tem consideração e respeito pela dor do outro.
Hoje posso falar do quanto dói e machuca sofrer um aborto, não é fim do mundo lógico, mas até recuperar do trauma leva um pouco de tempo, nunca vai esquecer, terá que aprender a conviver com a dor.
Uma das coisas que observei é que quando você sente o amor familiar por perto à superação é mais rápida e mais tranquila. E mesmo assim a luta com seu eu é difícil. Fiquei imaginando, quem não tem apoio sofre dobrado.
Se já pequei em minha profissão e na vida, vou me vigiar mais, porque a cada dia percebo o quanto a vida é maravilhosa e é como um cristal que às vezes num piscar de olhos se quebra.
O sangue, o feto escorreu com tanta rapidez, quando cheguei ao hospital o médico me examinou e já correram comigo para o centro cirúrgico, e as enfermeiras disseram não se assuste com tanta gente. Eu não estava assustada, quando escutei elas  falarem da minha pressão que estava boa apesar dos fatos, entendi que não era minha hora de partir.
Mas ao ter alta do hospital o pesadelo continua e em desespero mudo sofro, e o que mais incomoda é que apesar de compartilhar sua dor, ela não aceita divisão, é só sua, e só você tem que caminhar em busca da cicatrização, e você vê no olhar do seu companheiro a impotência e sente falta não de palavras, mas de um abraço caloroso que não chegou.










A tempestade na vida de casal


                      

Quem dera que todos os problemas se resolvessem com a fuga. A vida a dois não é fácil, mas tem sua importância e seu valor. Afinal todo balaio tem sua tampa. Ás vezes vive-se uma vida inteira com uma pessoa e não a conhece totalmente. Imaginem estar no convívio há pouco tempo com uma pessoa e já querer perfeição, é complicado.
É impossível mudar o outro ou mudar pelo outro, os relacionamentos em minha opinião para prosperar existe o ceder, o respeito e um pouco de paciência porque cada um reage ao seu tempo. Uns decide tudo por impulso e a coisa fica pior, age, faz e acontece e depois é arcar com as consequências que não são poucas. Outros demoram a dar as respostas esperadas e o telhado também trinca.
Ao longo de minha caminhada e com ajuda de amigos aprendi não fugir dos problemas, mas me revolto quando o desejo do companheiro chega como ordem, afinal em tempos modernos que o casal tem que contribuir cada um com sua parte financeira, tudo, absolutamente tudo tem que ser conversado e o resultado tem que chegar sempre de acordo com o que os dois almejam.
Estou impressionada em ver que seres tão instruídos ainda carrega o machismo e vi também que aceitam a modernidade e a liberdade da mulher trabalhar e em casa afirma que está na bíblia que o homem é o varão e quem manda é ele.
Presenciando estes acontecimentos, estou compreendendo agora porque está aumentando o numero de pessoas que não querem compromisso. Suponho que o fato das mulheres serem independentes contribui. Quem defende seu sustento não tem porque suportar agressão ou simplesmente aceitar tudo.
A tempestade entre casais vão existir sempre, mas fugir nunca será a solução, nunca vai viver com alguém, o dialogo existe, mas pouco utilizado.
Há também quem alega que não consegue viver só, mas de ano em ano troca de parceira, diz que quando gosta tem que estar junto, na primeira garoa foge desesperado. Assim nunca vai se ajustar.
A tempestade pequena ou grande ocorre a todo instante, mas ela também da sua pausa.
Não somos dono do mundo tão pouco da vida, ser coerente e não tomar decisões precipitadas ainda é o remédio para quem quer viver bem. E se perceber que errou volte enquanto há tempo. Porque este mesmo tempo cura as feridas e abre outras portas.
Os casais que se amam não deveriam se perder por coisas banais. Atitudes impensadas um lar destruído, uma união desfeita sempre traz sofrimento. Infelizmente hoje em dia apesar das juras de amor a tolerância é zero.