quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Medo de amar

Da janela vejo a chuva cair
Crianças brincando na rua
Sozinho em casa, inquieto.
Ouço alguém me chamar

Não sei de onde saiu
Eu ali me escondendo
Fiquei estático
A voz não saiu

De novo ouço meu nome
Raios e trovões
Resolvi ir ao encontro
Por medo de amar, isolei-me.
Quase perdi... Chegou a hora, estou livre.



2 comentários:

  1. Um dia todo mundo amadurece, inclusive eu amadureci!!!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo carinho, abraço para você também.

    ResponderExcluir