quinta-feira, 27 de setembro de 2012

O louco, o amoroso e o poeta.


     

Já sabemos que de poeta e de louco todos tem um pouco. Mas viver com intensidade com loucura, amor e poesia são poucos que tem o domínio e a coragem.
Não que seja uma conquista difícil, mas o novo assusta e muitos não conseguem enfrentar o medo.
Neste mundo e principalmente nos dias atuais vamos vivenciar coisas e fatos que antigamente não saia da imaginação. E hoje acontece com tanta facilidade e rapidez.
 Agir por impulso pode trazer alegrias, mas também consequências árduas. Recuar ou prosseguir com cautela ainda é a melhor opção, como humanos nos perdemos nos sentimentos e há situações que a decisão é racional e logo o arrependimento chega e o coração sangra por ter que arcar com a dor da solidão e se esconde no casulo isolamento, por ter enfiado os pés pelas mãos.
Acreditar só no seu ponto de vista pode cometer o maior dos erros, jogar fora o amor verdadeiro, por uma atitude descabida, onde deixou o orgulho falar mais alto, e fechou os olhos para os verdadeiros sentimentos que seria a base para um final feliz.
A felicidade de fato existe para quem sabe amar, o amor traz com ele o conjunto que começa com o dialogo, paciência, respeito e entendimento que cada um é dono de suas escolhas, mas nada impede que compartilhem suas ideias e construam juntos seu paraíso.
Temos que ter em mente que nada acontece do dia para a noite, pode levar semanas, meses e anos, tudo tem seu tempo e sua razão de ser e muitas vezes vemos que não é tudo que queremos ou desejamos que de fato seja o melhor para nós.
Na caminhada nesta delícia de vida já me deparei com muitas situações que jamais pensei ter contato, mas fiquei feliz por descobrir a coragem que existe em mim. E acredite por mais que tenha a mente aberta tudo que é novo por mais simples que pareça ser, vai assustar você e não significa que não vai aceitar, o maravilhoso tempo agirá, com certeza.
O louco toma atitudes inesperadas e de acordo com o momento. O amoroso traz dentro de si a força de um amor verdadeiro e às vezes por medo de perder acaba perdendo. E o poeta sempre vai abrir uma brecha para dar sentido a sua vida e tenta caminhar sempre a favor do vento e da música e ao longo do trajeto vai aprendendo a dançar sem se importar com o ritmo.
O louco, o amoroso e o poeta vão estar sempre recheados de imaginação, tentando evitar sofrimentos e dando mais vida e luz ao universo, também consegue trabalhar as tristezas e é consciente que a morte é necessária por mais belo que seja seu personagem.

2 comentários: